ENGLISH VERSION

Teses

1. SOUZA, P. R. O Efeito Retroativo do EPLIS nas Percepções, Atitudes e Ações de Professores e Alunos de um Curso de Formação em Controle de Tráfego Aéreo 2018. 384 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

Esta pesquisa teve como foco de investigação o efeito retroativo do EPLIS (Exame de Proficiência em Inglês Aeronáutico do Sistema de Controle de Tráfego Aéreo Brasileiro) nas percepções, atitudes e ações de professores e alunos de um curso de formação em controle de tráfego aéreo. O EPLIS é um exame de proficiência, aplicado, anualmente, a controladores de tráfego aéreo e operadores de estação aeronáutica, desde 2007, em cumprimento às normas e regras da OACI (Organização da Aviação Civil Internacional) quanto à avaliação da proficiência dos profissionais envolvidos nas operações de voo internacionais. Em 2014, esse exame foi estendido a alunos do último semestre de um curso de dois anos de formação em controle de tráfego aéreo. Adotando um desenho metodológico misto, este estudo é composto por duas fases consecutivas. A primeira fase, denominada quantitativa, objetivou analisar padrões e tendências nas percepções e atitudes dos participantes em relação à influência do exame em diversos aspectos do ensino e aprendizagem de inglês. Para isso, foi elaborado um questionário, e as informações coletadas foram analisadas com o emprego de técnicas estatísticas. A segunda fase, de natureza qualitativa, pretendeu explicar, expandir e corroborar os resultados iniciais, gerando dados por meio de grupo focal, entrevistas individuais e observações de aulas. Os resultados mostraram que o exame influenciava as habilidades desenvolvidas, os tipos de tarefas realizadas e seus formatos, as avaliações em sala de aula e a abordagem de ensino do professor. Fatores como a proximidade do EPLIS, a proficiência dos alunos, o nível de conhecimentos de alunos e professores sobre o exame e a alta-relevância das provas de rendimento realizadas em sala de aula interferiram nesse processo. Assim, o efeito retroativo era mais intenso na última série do curso, quando aspectos do teste eram mais mencionados e discutidos, e as habilidades orais eram mais exploradas em sala de aula. Contudo, deficiências na capacitação dos professores em relação ao exame pareceram contribuir para que algumas características do teste fossem mais enfatizadas em detrimento de outras. Somado a isso, a alta-relevância das avaliações escritas fez com que o desenvolvimento da produção oral fosse diminuído em sala de aula, principalmente, nas 2a e 3a séries. O nível de proficiência percebido dos alunos também influenciou a intensidade do efeito. Assim, alunos mais proficientes demonstraram maior confiança, motivação e atitudes positivas, atribuindo níveis mais elevados de relevância ao exame, bem como à frequência com que buscavam informações se engajando em atividades preparatórias. Nas turmas mais avançadas, também foi constatado que os professores desenvolviam mais a produção oral, promoviam mais oportunidades de interação entre os alunos e exploravam mais atividades semelhantes às do exame. Por fim, limitações nas funções comunicativas avaliadas no exame se refletiram negativamente na sala de aula, o que fez com que tarefas com foco no gerenciamento do diálogo piloto-controlador e no uso de estratégias de negociação de sentido tendiam ser negligenciadas.

Download


2. TERENZI, D. Princípios norteadores para o planejamento de cursos de línguas para propósitos específicos em curso superior tecnológico (manutenção de aeronaves): considerando visões de aprendizes, instituição formadora e empregadores. 2014. 194 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.

A expansão dos cursos superiores tecnológicos vem ocorrendo de maneira significativa no Brasil e há uma relação direta entre o mundo da ciência e da tecnologia e a língua inglesa (CELANI, 2008). O contexto do ensino superior tecnológico é, assim, um ambiente rico para investigações considerando o ensino de línguas, especificamente o inglês. Ações são necessárias para adequar o ensino de línguas aos requisitos desse contexto (ALMEIDA FILHO, 2008). Comumente, as pesquisas acerca das necessidades e interesses, que norteiam o planejamento do curso de línguas para propósitos específicos, focalizam a perspectiva dos aprendizes, mas, no início do curso superior, tais necessidades podem não estar claras para os mesmos (ANTHONY, 1997; AUGUSTO-NAVARRO et al, 2012). Propomos então, nesta pesqusia, uma investigação em relação ao planejamento de disciplinas de inglês para propósitos específicos no ensino superior, levando em conta três perspectivas: a da instituição de ensino, por meio dos documentos norteadores (plano de curso e de disciplinas); a dos aprendizes, considerando seus interesses e suas percepções acerca das necessidades e, por fim, a do mercado de trabalho, representado por funcionários de empresas que contratam o profissional formado pelo curso tecnológico de manutenção em aeronaves. O estudo é feito por meio de questionários e análise de documentos. Os resultados mostram que há semelhanças e limitações, principalmente entre as expectativas dos aprendizes e as demandas do mercado de trabalho em relação aos objetivos apresentados nos planos de disciplinas. Diante dos resultados obtidos e com base em pressupostos do ensino de línguas para fins específicos, discutidos por diferentes pesquisadores da área, apresentamos princípios com o potencial de sensibilizar e guiar profissionais envolvidos em propostas de planejamento e desenvolvimento de disciplinas de inglês instrumental.

Download


Dissertações

1. GONÇALVES, S. S. B. Open to Talk - emergências: um glossário português/inglês para as comunicações radiotelefônicas entre pilotos e controladores de tráfego aéreo 2017. 116 f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução) – Instituto de Letras, Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

A aviação comercial no Brasil teve um crescimento significativo nas últimas décadas, porém ainda há poucos estudos na área, principalmente relacionados às linguagens utilizadas dentro desse domínio. Após alguns acidentes e incidentes envolvendo a má compreensão da língua, a Organização da Aviação Civil Internacional apresentou maior interesse nas comunicações aeronáuticas e passou a exigir, das tripulações e do pessoal envolvido com tráfego aéreo, um nível mínimo de proficiência na língua inglesa. Visando a auxiliar esses profissionais na aquisição desse nível de proficiência e pretendendo criar uma ferramenta de consulta de termos em português e inglês, surgiu a ideia de criar um glossário voltado às comunicações radiotelefônicas entre pilotos e controladores de tráfego aéreo. Dentre os poucos trabalhos terminológicos bilíngues voltados para a área da aviação, nenhum contempla essas comunicações. A acurácia dessas comunicações é fundamental para a manutenção da segurança de voo e as situações de emergência exigem maior atenção e dedicação dos profissionais envolvidos nesse contexto, por isso priorizamos a abordagem dessa temática nesse projeto de mestrado. Através das teorias terminológicas, principalmente da Teoria Geral da Terminologia e da Teoria Comunicativa da Terminologia, concluímos a compilação desse glossário composto por 69 verbetes com entradas na língua portuguesa, e uma lista de 90 termos em inglês com os equivalentes terminológicos em português.

Download


2. BABBONI, C. A Atividades de pronúncia em livros didáticos de Inglês Aeronáutico: reflexões sob o prisma de falantes de português brasileiro 2017. 187 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Ciências Sociais e Letras, Universidade de Taubaté, Taubaté, 2017.

Nossa pesquisa teve sua origem em percepções e questionamentos ocorridos desde 2010, durante nossas aulas de Inglês Aeronáutico no Curso de Formação de Controladores de Tráfego Aéreo (ATCOs), na Escola de Especialistas de Aeronáutica, em Guaratinguetá-SP. Embora já existam vários trabalhos realizados na área de Inglês Aeronáutico, não encontramos ainda, no Brasil, pesquisas que estejam voltadas especificamente para o ensino da pronúncia da língua inglesa para pilotos ou ATCOs. Sendo assim, o objetivo desta pesquisa foi o de investigar em que medida os exercícios de pronúncia presentes em três livros didáticos (LDs), utilizados ao longo do Curso de Formação de ATCOs, contemplam as necessidades específicas de falantes de Português Brasileiro (PB). De forma a atingir o objetivo geral, os objetivos específicos desta pesquisa foram: 1. verificar quantos exercícios de pronúncia existem em cada um dos três LDs e quais são seus enfoques e tópicos; 2. avaliar quais exercícios de pronúncia disponíveis nos três LDs contemplam as necessidades dos falantes de PB como primeira língua e são relevantes para o contexto dos ATCOs; 3. identificar as lacunas existentes. Os livros em questão são: (1) English for Aviation , de Ellis e Gerighty, da editora Oxford University Press, (2) Aviation English e (3) Check Your Aviation English, ambos de Emery e Roberts, da editora Macmillan. Por serem LDs de editoras de alcance internacional, seu conteúdo programático busca atender às necessidades de falantes de vários idiomas, e não apenas a nossa realidade de falantes nativos de PB. Este trabalho tem como fundamento as concepções de ensino de pronúncia presentes em Celce-Murcia et al (1996), Cristófaro-Silva (2012), Fraser (2001), Godoy et al (2006), Kenworthy (1987) e Sant’Anna (2008), bem como discussões de Jenkins (2000, 2002, 2005) e de Seidlhofer (2005), na área de Inglês como Lingua Franca. Além desses autores, a pesquisa também é norteada pelos ensinamentos sobre English for Specific Purposes (ESP), de Dudley-Evans e St John (1998), Hutchinson e Waters (1987), Ramos (2005) e Robinson (1991). Para alcançar os objetivos desta pesquisa, foi conduzida uma análise através das abordagens quantitativa e qualitativa-interpretativista. Por meio dessa análise, primeiramente, foi possível obter dados descritivos sobre os exercícios de pronúncia dos três livros de Inglês Aeronáutico, que fazem parte deste estudo. Os dados levantados foram analisados à luz das teorias que embasam o nosso olhar sobre nosso objeto de pesquisa. Os resultados mostram que, de modo geral, a maioria dos exercícios de pronúncia traz poucos exemplos (palavras e/ou frases), e muitos enunciados não sugerem qualquer tipo de prática oral por parte dos alunos. Além disso, a análise dos exercícios de pronúncia revelou que várias dificuldades de pronúncia em inglês, que são comuns a falantes de PB, não são abordadas em nenhum dos três LDs.

Download


3. SILVA, A. L. B. C. Uma Análise de Necessidades de uso da Língua Inglesa por Oficiais Aviadores do Esquadrão de Demonstração Aérea da Força Aérea Brasileira 2016. 278 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2016.

Embora seja crescente o interesse por estudos voltados para o inglês necessário à aviação internacional, ainda se observa uma lacuna em investigações sobre as necessidades de uso de inglês por pilotos da aviação militar brasileira. Neste estudo, realizamos uma análise de necessidades de uso da língua inglesa por Oficiais Aviadores do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) da Força Aérea Brasileira (FAB), popularmente conhecido como “Esquadrilha da Fumaça”. O EDA tem por missão representar a FAB e o Brasil por meio de demonstrações aéreas. Entre suas várias atribuições estão: representar a FAB no exterior e difundir a Política de Comunicação Social do Comando da Aeronáutica (COMAER). Por meio de uma pesquisa qualitativa, desenvolvemos um estudo de caso envolvendo vários procedimentos metodológicos, tais como entrevistas não estruturadas e semiestruturadas, grupos focais, análise documental e observação, bem como ouvimos diversos participantes – Pilotos em Atividade, Pilotos Veteranos e professores de inglês da Academia da Força Aérea Brasileira (AFA). A Análise da Situação Atual (PSA) demonstrou que, durante a formação dos futuros Oficiais Aviadores da FAB, a habilidade de produção oral em inglês – para fins específicos (ESP) e para fins gerais (EGP) – não tem sido diretamente avaliada. Não obstante, os resultados mostram que todos os 13 Pilotos em Atividade do EDA detinham, durante o estudo, o chamado “Cartão S”, que comprova proficiência em inglês geral, de acordo com os parâmetros estabelecidos pelo COMAER. A Análise da Situação Alvo (TSA) demonstra que a língua inglesa necessária ao grupo é multifacetada, pois inclui, durante as comunicações entre pilotos e controladores de voo, o uso de fraseologia padrão para situações rotineiras, e plain English, para situações não rotineiras. Em solo, há evidências de necessidade de uso de inglês geral (EGP) e vocabulário específico para aviação para o desempenho de tarefas administrativas e operacionais. Similarmente, o EGP e o vocabulário específico para aviação são necessários para a interação com o público, a imprensa, autoridades, membros de outras equipes, entre outros interlocutores, e também durante intercâmbios e o recebimento de visitas internacionais na sede do grupo. As comunicações podem ocorrer por meios diversos, tais como radiofonia, face a face e meios eletrônicos. As habilidades mais necessárias ao grupo são a compreensão oral e a produção oral, tanto em voo como em solo, em ESP e em EGP. Em alguns casos, as habilidades de compreensão escrita e produção escrita se fazem igualmente necessárias. Este estudo gera discussões teóricas e práticas sobre o ensino e a avaliação de inglês para aviação no âmbito militar brasileiro, o que pode fundamentar o desenvolvimento de cursos, syllabuses, a produção de material didático, o treinamento especializado de professores de inglês, além de ensejar novos estudos sobre aspectos metodológicos, que poderão ser úteis para a condução de outras análises de necessidades de línguas, na área militar ou não.

Download


4. DIAS, R. T. S. Análise de imagens no livro Aviation English: uma contextualização para o ensino de ESP para controladores de tráfego aéreo pré-serviço brasileiros 2016. 207 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Ciências Sociais e Letras, Universidade de Taubaté, Taubaté, 2016.

Os livros didáticos (LD) de Língua Inglesa da atualidade são amplamente ilustrados. Considerando-se a imagem no contexto de Ensino de Língua para Fins Específicos, verifica-se que a imagem é um excelente recurso para representar as situações de uso real da língua. Esse recurso é muito importante especialmente para os alunos que ainda não atuam profissionalmente nas suas funções, ou seja, os alunos pré-serviço. No entanto, considerando-se as peculiaridades de produção do LD de Língua Inglesa, as imagens podem não estar adequadas ao público-alvo, sendo necessária a sua adaptação. Nesta pesquisa, o público-alvo considerado foram alunos controladores de tráfego aéreo pré-serviço brasileiros. Com base nessas informações e alicerçado nas teorias de ensino-aprendizagem de ESP, de LD e de Imagem, o presente estudo tem por objetivo analisar a função da imagem em três unidades de LD de Inglês Aeronáutico, bem como verificar a contribuição da utilização das imagens no preparo para a realização do EPLIS, o exame de proficiência realizado pelo controlador de tráfego aéreo no Brasil. Dentre os livros disponíveis no mercado, foi escolhido para análise o LD Aviation English pelas diferentes manifestações de imagem que esse material oferece. Para essa análise, foram elaborados critérios de classificação das imagens com base em Costa (2005) e complementados por Paiva (2010). Nesta pesquisa, 45 imagens foram analisadas. O resultado final da análise dos dados indicou que a função que mais se destacou foi a função de exercício de aplicação (20 imagens); seguida da função ilustração (13 imagens). Também verificou-se que a maior parte das imagens contribui para o EPLIS (26 imagens), mas grande número não contribui (18 imagens). Também foram discutidas ao longo das análises as possibilidades de adaptação da imagem no livro didático.

Download


5. GARCIA, A. C. M. What do ICAO Language Proficiency Test Developers and Raters Have to Say about the ICAO Language Proficiency Requirements 12 Years after their Publication? 2015. 114 f. Dissertação (MA in Language Testing (by distance) degree) – Department of Linguistics and English Language, Lancaster University, Lancaster, United Kingdom, 2015.

The International Civil Aviation Organization (ICAO) standard and recommended practices (SARPs) related to the language use for aeronautical radiotelephony communications were published in March 2003. Twelve years after their publication, in the light of research suggesting the revision of the ICAO policy, it is important to learn what experts who have been working with the ICAO language proficiency requirements (LPRs) think are their strengths and weaknesses according to their experiences. This dissertation investigates experienced test raters and test developers’ opinions about the ICAO LPRs. Six expert professionals were interviewed in this qualitative analytic research and the data were analysed in accordance with the thematic analyses method. The discussions included not only general features of the policy but also the specific features of the assessment criteria. The research puts forward suggestions of improvements to be made to the ICAO policy and recommends ICAO to revise the LPRs at the earliest.

Download


6. PRADO, M. Levantamento dos padrões léxico-gramaticais do inglês para aviação: um estudo vetorado pela Linguística de Corpus. 2015. 133 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

A OACI (Organização de Aviação Civil Internacional), órgão que estabelece regulamentações na aviação civil em nível mundial, define o inglês para aviação como uma junção entre a Fraseologia Aeronáutica – sublinguagem empregada por pilotos e controladores de tráfego aéreo em comunicações radiotelefônicas em situações rotineiras – e o inglês comum (plain English), utilizado quando a Fraseologia Aeronáutica não se mostra suficiente. Após averiguar que acidentes aéreos foram agravados por falhas de comunicação, a OACI passou a exigir dos profissionais supracitados uma licença para operações internacionais. Para tal licenciamento, é requerida uma avaliação de proficiência linguística, prescrita no Manual de Implementação de Proficiência Linguística, ou DOC 9835, publicado pela OACI em 2004. A partir de então, o inglês aeronáutico teve seu grau de importância elevado e começou a ser avaliado em países ao redor do mundo, por governos e/ou por instituições internacionais, e, nos últimos anos, foram publicados materiais didáticos que se propõem a atender a essa nova demanda. Identificando a falta de autenticidade nesses materiais, e um descompasso entre a definição proposta pela OACI e o Glossário de Estruturas Básicas e Complexas adicionado à segunda edição do DOC 9835 (ICAO, 2010), buscamos no aporte teórico da Linguística de Corpus uma metodologia para a descrição do plain English utilizado em contextos aeronáuticos em uso real. Assim, o objetivo desta pesquisa é apresentar um estudo descritivo da linguagem utilizada por controladores de tráfego aéreo e pilotos em comunicações radiotelefônicas em situações anormais; para atingi-lo, compilamos um corpus falado extraído desse contexto. A partir desse corpus, analisamos, primeiramente, os padrões fraseológicos no entorno de cinco itens lexicais – runway [pista], aircraft [aeronave], emergency [emergência], fuel [combustível] e engine [motor] –, que foram evidenciados como as palavras de conteúdo mais frequentes no corpus de estudo. Contrastamos, em seguida, nossos resultados com o Glossário de Estruturas do próprio DOC 9835. Nossos resultados apontam que, assim como recomendado pela OACI, o inglês para aviação é simples e objetivo, não correspondendo ao tipo de linguagem sugerida no referido anexo nem ao conteúdo programático dos materiais didáticos utilizados atualmente.

Download


7. BONIFÁCIO, E. M. R. Critérios de avaliação de livro didático para o ensino-aprendizagem de inglês para controladores de tráfego aéreo brasileiros: uma proposta de checklist 2015. 170 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

Considerando a necessidade de aumentar o nível de proficiência em língua inglesa de controladores de tráfego aéreo (ATCO), a fim de prevenir incidentes e acidentes, cujas causas também estejam relacionadas à falta de proficiência na língua, vários cursos de idiomas começaram a oferecer aulas de inglês para esses profissionais. Segundo OACI (2010), os ATCO devem ser aprovados em exame de proficiência específico, para operarem em órgãos que controlam o tráfego aéreo internacional. No entanto, o número de livros didáticos (LD) de inglês aeronáutico continua modesto e, com isso, a escolha do mais adequado torna-se difícil, devido às poucas opções. O objetivo geral deste trabalho é contribuir com pesquisas na área de avaliação de material didático e de ensino-aprendizagem de inglês. Os objetivos específicos são: estabelecer critérios para a elaboração de uma checklist para avaliação de livro didático utilizado na formação de língua inglesa de ATCO, a partir de critérios existentes na literatura sobre avaliação de LD, adequando-os aos requisitos estabelecidos pela OACI (Organização de Aviação Civil Internacional) e às atividades aplicadas no Exame de Proficiência a que são submetidos os controladores de tráfego aéreo no Brasil; e aplicar a checklist elaborada na avaliação do livro didático Aviation English. A Checklist ATCO será elaborada à luz do Documento 9835, de OACI (2010); das teorias de linguagem Widdowson (1978) e outros; da língua inglesa como língua franca da aviação, de Oliveira E. (2007), Hülmbauer et al (2008) e outros; dos princípios de ensino-aprendizagem de línguas, de Larsen-Freeman (2000), Brown (2007) e outros; do ensino de inglês para propósito específico, de Hutchinson e Waters (1987), Dudley-Evans e St. John (1998) e outros; e de avaliação de livro didático, de Cunningsworth (1995), Tomlinson (1998; 2003), Mc Grath (2002), Dias (2007) e outros. A checklist tem como principais indicadores os princípios norteadores (linguagem e princípios de ensino-aprendizagem), os aspectos gráficos, as competências lexicais, gramaticais e funcionais descritas no Documento 9835, os materiais de apoio e a familiarização com as atividades aplicadas no exame de proficiência aplicado no Brasil, totalizando 117 itens. A partir da aplicação da Checklist ATCO na avaliação do material, foi possível verificar que 71,8% dos itens estão presentes no livro avaliado; 20,5% não estão presentes no material; e 7,7% estão parcialmente presentes. A avaliação de LD utilizando a checklist proposta facilita a identificação de lacunas e fornece informações ao professor que avalia, a fim de que ele planeje as adaptações de atividades, já que o material perfeito será difícil de encontrar.

Download


8. CRUZ, A. P. C. S. Conscientização linguística e profissional para o controlador de tráfego aéreo: uma proposta didática para o ensino - aprendizagem de Língua Inglesa baseada em tarefas 2015. 137 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicadas) – Faculdade de Ciências Sociais e Letras, Universidade de Taubaté, Taubaté, 2015.

Este trabalho é fruto de observações procedidas durante os anos de atuação profissional junto à formação de controladores de tráfego aéreo (ATCos). O interesse em desenvolver uma proposta de conscientização surgiu quando, ao lecionar Inglês para fins específicos (ESP), no contexto da aviação, foi observado que muitos alunos desse curso de formação não tinham clareza sobre a importância do Inglês para a área escolhida como profissão, tampouco podiam perceber as nuances da Língua Inglesa que poderiam causar ambiguidade na comunicação radiotelefônica. Contudo, a percepção sobre estes aspectos linguísticos que podem causar ambiguidades e mal-entendidos no discurso é muito importante para evitar acidentes e incidentes aéreos. Nesse contexto, também foi verificado que muitos estudantes se inscreviam para o curso de formação de ATCos sem conhecer a abrangência e os desafios da profissão. Essa falta de conhecimento ficava clara durante as aulas de Inglês e resultava no desinteresse na realização das atividades e também na falta de percepção sobre os aspectos da Língua Inglesa que são considerados importantes para um voo seguro. Desta forma, este trabalho tem como objetivo contribuir com o processo de conscientização sobre a importância da Língua Inglesa e sobre a relevância profissional dos ATCos, para alunos de cursos de formação de controladores de tráfego aéreo, por meio da elaboração de tarefas com o enfoque na conscientização. O ensino de línguas baseado em tarefas (TBLT) privilegia a instrução baseada no significado. Ao constatar isso, ficou definido que a metodologia utilizada para a elaboração de tais propostas didáticas de conscientização seria baseada em tarefas (ELLIS, 2003, 2009, 2011, 2015), principalmente, porque essa metodologia pode proporcionar ao aluno reflexões de como agir para a realização de atividades semelhantes às tarefas linguísticas do mundo real. Em virtude dessas constatações, os pressupostos teóricos do TBLT foram selecionados como base principal para a confecção das propostas de conscientização. Esses fundamentos teóricos também convergem com a perspectiva teórica da Conscientização, pois, ao executar tarefas, o aluno se torna ativo diante de sua realidade e predisposto à reflexão. Esta é uma pesquisa bibliográfica de caráter qualitativo, através da qual foi possível concluir que as bases teóricas entre o ESP, TBLT e o ensino focado na Conscientização podem tornar o discente propenso à conscientização linguística e profissional.

Download


9. CHINI, M. R. R. C. Ensino-aprendizagem de Inglês para o Controlador de Tráfego Aéreo Brasileiro: em busca de novos rumos 2014. 195 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Ciências Sociais e Letras, Universidade de Taubaté, Taubaté, 2014.

Este trabalho, alicerçado teoricamente no ensino-aprendizagem de Línguas para Fins Específicos, com ênfase em Inglês para Fins Específicos e vinculado ao Grupo de Estudos em Inglês Aeronáutico – GEIA –, tem por objetivo investigar em que medida o Curso de Inglês da Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR) atende aos alunos (controladores de tráfego aéreo pré-serviço), no que diz respeito às suas necessidades de aprendizagem; e verificar se ele contribuiu para o desempenho das funções operacionais executadas pelos controladores nos diferentes órgãos de Controle de Tráfego Aéreo (órgãos ATC). Para atingir os objetivos, foi realizada uma pesquisa qualitativa-interpretativista, cujos instrumentos foram dois questionários escritos aplicados a 50 alunos do Curso de Formação de Sargentos – especialidade Controle de Tráfego Aéreo, e a 14 sargentos controladores de tráfego aéreo, egressos da EEAR, que atuam nos órgãos ATC. Este estudo comparativo justifica-se pela importância do uso do inglês em tarefas de desempenho profissional para os sargentos que irão atuar como controladores de tráfego aéreo (ATCos). O resultado da análise dos dados indicou que a maioria dos respondentes é consciente da necessidade desse idioma no contexto da aviação. Tanto os alunos quanto os sargentos afirmaram ter aprimorado seus conhecimentos em inglês ao longo do processo de formação profissional. Entretanto, os integrantes dos dois grupos revelaram a importância de desenvolver mais as habilidades de produção e compreensão orais, pois são as que apresentam maior grau de dificuldade. Ademais, foi possível identificar a falta de diálogo entre as disciplinas Fraseologia de Tráfego Aéreo e Inglês. A integração dessas duas disciplinas foi apontada como uma maneira de aproximar o ensino à realidade da atividade profissional. Os dados também demonstraram que a má distribuição da carga horária do Curso de Inglês prejudica sobremaneira o ensino-aprendizagem da língua inglesa. Os resultados desta pesquisa poderão contribuir como subsídios para a re(formulação) do atual Curso de Inglês da EEAR para os ATCos.

Download


10. MACHADO, V. S. J. Avaliação de Proficiência Linguística de Pilotos: o discurso do candidato e sua influência no comportamento e julgamento do examinador 2010. 196 f. Dissertação (Mestrado em Lingüística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

Este trabalho enfoca a interação entre examinadores e candidatos participantes de exames orais de proficiência linguística no contexto aeronáutico.Tais exames têm a finalidade de certificar pilotos de avião e helicóptero que conduzem voos internacionais e vêm sendo exigidos pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), autoridade de aviação civil brasileira, em cumprimento aos requisitos internacionais de proficiência linguística estabelecidos pela OACI (Organização de Aviação Civil Internacional). A análise da conversação nos permite observar como “as ações são moldadas pelo contexto e também o moldam, influenciando as ações subsequentes dos participantes, bem como o entendimento do que está acontecendo.”(NEVILE e WALKER, 2005, p.3, grifo nosso). Sob esse prisma, são analisadas interações entre examinadores e pilotos com ênfase na influência que a fala daquele exerce sobre a reação desse e vice-versa. Os dados gerados sugerem que determinados padrões comportamentais podem promover intimidação do examinador, invertendo a assimetria entre examinador e candidato durante entrevistas de proficiência linguística, principalmente quando há uma relação hierárquica entre os interagentes. A despeito do desvio comportamental em relação ao padrão esperado durante exames orais, nos casos aqui analisados, não foi verificado uso equivocado da escala de níveis da ICAO por parte do examinador. Entretanto, o perfil e a relação entre os interagentes pareceram relevantes para avaliações mais justas. Dessa forma, este estudo leva à reflexão sobre que aspectos deveriam ser observados a fim de que haja maior confiabilidade e consequente validade em entrevistas de proficiência orais que se destinem ao atendimento dos requisitos de proficiência linguística da ICAO.

Download


11. SÁ, P. P. T. F. Novos caminhos para o conteúdo programático das disciplinas Inglês 2 e Inglês 3 do curso de Formação de Controladores de Tráfego Aéreo Militares. 2010. 130 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Ciências Sociais e Letras, Universidade de Taubaté, São Paulo, 2010.

Este trabalho apresenta uma análise comparativa entre o conteúdo programático de duas disciplinas do curso de formação dos controladores de tráfego aéreo militares (ATCos) – cuja abordagem é o Inglês para Fins Específicos – e a lista Eventos, Domínios e Subdomínios da Comunicação Controlador-Piloto, a qual é sugerida por um documento da Organização Internacional de Aviação Civil (OACI), com vistas a fornecer subsídios para a adequação do curso de Inglês da escola de formação de controladores de tráfego aéreo à proposta de conteúdos da lista da OACI levantados a partir da análise de necessidades do uso da língua inglesa para os ATCos. A pesquisa filia-se, fundamentalmente, ao arcabouço teórico de Hutchinson e Waters (1987) e o de Dudley-Evans e St John (1998), cuja perspectiva é a do ensino de Inglês para Fins Específicos, conhecida no Brasil como Abordagem Instrumental. Os instrumentos de pesquisa foram documentos instrucionais e normativos. Os resultados da análise evidenciaram que os conteúdos sugeridos na lista de Eventos Domínios e Subdomínios do Manual da OACI foram explorados, quase em sua totalidade, no conteúdo programático das disciplinas do curso de formação de ATCos. Os resultados também apontaram os conteúdos que não foram contemplados nos conteúdos programáticos, fornecendo desta forma, subsídios para a reelaboração do conteúdo programático do curso de Inglês de formação de controladores de tráfego aéreo militares.

Download


12. MONTEIRO, A. L. T. Comunicações entre pilotos e controladores de vôo: fatores lingüísticos, discursivo-interacionais e interculturais 2009. 382 f. Dissertação (Mestrado em Lingüística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

Visando contribuir para as pesquisas realizadas sobre os problemas nas comunicações radiotelefônicas (cf. PRINZO e BRITON, 1993; CUSHING, 1995; MORROW e RODVOLD, 1998; MCMILLAN, 1998; EUROCONTROL, 2006) e para identificação dos fatores contribuintes de acidentes, esta dissertação pretende investigar possíveis ameaças à compreensão oral relativas ao uso da língua inglesa por parte de pilotos e controladores brasileiros em um contexto multicultural, no qual atuam sujeitos possuidores de diferentes habilidades lingüísticas. Inicialmente, questões relativas às características das comunicações radiotelefônicas, aos papéis convencionais dos participantes e, ainda, aos fatores interculturais na segurança da aviação são discutidas. A partir das taxonomias propostas por pesquisadores em contextos internacionais, um conjunto de fatores que podem gerar falhas nas comunicações radiotelefônicas é identificado. Este estudo também tem como objetivo contribuir para o sucesso na radiotelefonia internacional que envolve pilotos e controladores brasileiros, correlacionando os fatores identificados na literatura com relatos pessoais desses profissionais, obtidos a partir de dois instrumentos de geração de dados: grupos focais e entrevistas individuais. Conduzida à luz de um arcabouço teórico que privilegia a visão de linguagem como ação (AUSTIN, 1962; SEARLE,1969) e cooperação (GRICE, 1975), e baseada em definições relevantes dos conceitos de inglês como língua internacional, pronúncia, inteligibilidade e prosódia, a análise do corpus permite descobrir o que pilotos e controladores brasileiros percebem como problema nas comunicações radiotelefônicas em que devem utilizar a língua inglesa. A partir de tais evidências, uma recategorização dos fatores identificados anteriormente que seja relevante para os profissionais brasileiros no contexto da aviação internacional é proposta. Os resultados apontam questões consensuais e controversas que necessitam ser consideradas com maior rigor.

Download



Trabalhos de conclusão de curso

1. ROSA, J. M. J. A prova Santos Dumont English Assessment (SDEA) na perspectiva de pilotos brasileiros 2015. 62 f. Trabalho de conclusão de curso – Faculdade de Ciências Aeronáutivas, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

A padronização da língua inglesa na aviação consiste em um importante instrumento para garantir a eficácia da telecomunicação presente em voos comerciais ao redor do mundo, desta forma, a segurança das operações. Sendo assim o presente estudo teve como objetivo descrever a prova Santos Dumont English Assessment de forma a mostrar sua importância e aplicabilidade a partir de um estudo teórico e de questionários aplicados a pilotos das quatro principais empresas aéreas que operam regularmente no Brasil. Constatou-se que, apesar de a prova não ser uma unanimidade entre os entrevistados, todos consideram importante a padronização da língua inglesa na aviação comercial.

Download



Publicações em periódicos científicos

1.SILVA, A. L. B. C.A Análise de Necessidades e sua relação com cursos e avaliação de proficiência em inglês para um grupo de pilotos militares brasileirosRevista Estudos Linguísticos (São Paulo), Vol. 45, No 2. 2016.

A Análise de Necessidades, como primeiro passo no processo de elaboração de cursos, currículos e materiais para ensino de línguas, bem como para a definição do conteúdo de tarefas em avaliação de proficiência em Inglês para Fins Específicos, tem sido amplamente discutida. O objetivo deste estudo é destacar a relevância da Análise de Necessidades de línguas para um grupo de pilotos militares brasileiros. Por meio de revisão bibliográfica sobre o tema, observamos como os teóricos definem a Análise de Necessidades e traçam uma distinção conceitual entre Análise da situação-alvo, que compreende a língua em uso, e Análise da situação de aprendizagem, que leva em conta o modo como a língua é ensinada/aprendida. Tal distinção é fundamental para se definir qual o modelo de Análise de Necessidades mais apropriado para cada caso.

Download


2. TOSQUI-LUCKS, P.; SOUZA, P. R.; RAYMUNDO, N. A. ; GUERREIRO, N. C. ; ARAGÃO, B. F. Ensino e Avaliação de Língua Inglesa para Controladores de Tráfego Aéreo como Requisito de Segurança em Voo. Revista Conexão SIPAER (Brasília), Vol. 7, No 1. 2016.

A proficiência em língua inglesa é uma ferramenta fundamental para a segurança das comunicações aeronáuticas que envolvem o tráfego aéreo internacional. Diversas pesquisas sobre investigação de acidentes e incidentes apontam que a falta dessa proficiência e falhas humanas nas comunicações radiotelefônicas podem ser fatores contribuintes de acidentes. Para mitigar esse problema, a Organização de Aviação Civil Internacional (OACI) estabeleceu requisitos para a capacitação e a avaliação de pilotos e controlado res que atuam em tráfego aéreo internacional, a fim de garantir que esses profissionais tenham competência para se comunicar em língua inglesa com segurança, principalmente em situações em que seja necessário extrapolar o uso da Fraseologia Aeronáutica padrão e utilizar a língua inglesa comum (plain English). O Instituto de Controle do Espaço Aéreo (ICEA), localizado em São José dos Campos - SP, é a instituição responsável pelo planejamento, desenvolvimento e aplicação dos instrumentos de capacitação e avaliação dos controladores de tráfego aéreo brasileiros em relação à proficiência em língua inglesa, a fim de cumprir os requisitos estabelecidos pela OACI. Neste trabalho, serão apresentados os pressupostos teóricos e metodológicos para a elaboração e aplicação desses instrumentos, tanto em relação à capacitação, composta por cursos e atividades presenciais e a distância, quanto em relação ao Exame de Proficiência em Língua Inglesa do SISCEAB (Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro), conhecido como EPLIS. Por fim, serão discutidas algumas soluções encontradas para oferecer treinamentos em serviço para milhares de profissionais distribuídos em diversos órgãos operacionais ao longo de todo o Brasil, por meio de um sistema de gestão da aprendizagem que se utiliza de recursos tecnológicos de educação híbrida. Serão comentados também os critérios para tomada de decisão em relação ao estabelecimento de prioridades para capacitação e para realização do EPLIS, tomando-se como base os procedimentos metodológicos aqui descritos, visando à segurança operacional.

Download


3. PRADO, M. A representação de língua e aprendizagem do sujeito-aprendiz do inglês para aviação. Aviation in Focus (Porto Alegre), v.3, n.1, p. 20-33 – jan./jul. 2012

O objetivo deste artigo é apresentar um estudo, baseado na Análise do Discurso da escola francesa, sobre a imagem que o aprendiz do inglês para aviação, especificamente o piloto, tem sobre a língua inglesa e o seu ensino, para que, ao identificarmos as formações imaginárias (Pêcheux, 1962) que permeiam suas representações, detectemos maneiras de (re)construir o ensino-aprendizagem do sujeito-aprendiz em questão. Consideramos, também, a argumentação apresentada por Prasse (1997) sobre o desejo da língua estrangeira, e discutiremos as diferenças entre língua materna e estrangeira e falantes nativos e não nativos.

Download


4. SCARAMUCCI, M. V. R. Validade e Conseqüências Sociais das Avaliações em Contextos de Ensino de Línguas. LINGVARVM ARENA - VOL. 2 - ANO 2011 - 103 - 120

O conceito de validade é tão central à avaliação que seria praticamente impossível pesquisá-la ou praticá-la sem considerá-lo. Motivado, em grande parte, pelos desenvolvimentos recentes sobre avaliação de desempenho, que pressupõe a avaliação do uso da linguagem em contextos sociais, entretanto, esse conceito passou, nos últimos anos, por uma extensa revisão tanto em sentido como abrangência, a ponto de tornar-se um dos conceitos mais polêmicos e discutidos na área de avaliação no momento ou, para Chapelle (1999), uma das áreas mais interessantes e importantes dentro da Linguística Aplicada. Discuto, neste trabalho, o conceito moderno ou expandido de validade/validação, que considera não apenas as bases evidenciais, mas também as consequências sociais/efeitos retroativos no processo (Messick 1989).

Download


5. SCARAMUCCI, M. V. R. O Exame de Proficiência em Língua Inglesa para Controladores de Voo do SISCEAB - Uma entrevista com Matilde Scaramucci. Aviation in Focus (Porto Alegre), v.2, n.1, p. 3-12 – jan./jul. 2011

Download


6. BOCORNY, A. E. P. Panorama dos estudos sobre a linguagem da aviação. Revista Brasileira de Linguística Aplicada. Revista Brasileira de Lingüística Aplicada (Belo Horizonte, v. 11, p. 963-986, 2011.

A carência de estudos descritivos sobre a linguagem especializada da aviação dificulta a criação e o desenvolvimento de cursos de Inglês para Fins Específicos (doravante ESP) para essa área de conhecimento. A pesquisa aqui apresentada busca suprir em parte tal carência, na medida em que faz uma revisão de trabalhos que já foram produzidos sobre língua e aviação. Assim, o objetivo deste artigo é, ao analisar o surgimento e a evolução de estudos relacionados à linguagem da aviação, identificar as principais temáticas enfocadas por pesquisadores e escritores desde o surgimento da “arte de voar” até hoje, relacionando-as às diferentes áreas da Linguística Aplicada. Para tanto, livros, artigos e documentos foram identificados, listados, relacionados aos principais fatos históricos do período e categorizados conforme seus focos de estudo. Por fim, foi organizado um quadro referencial com os principais focos de estudo identificados.

Download


7. PRADO, M. Corpus de Inglês Oral na Aviação em situações anormais. Aviation in Focus (Porto Alegre), v. 1, n. 1, p. 48 – 57 ago/dez. 2010

Este artigo tem como objetivo mostrar como a Lingüística de Corpus pode contribuir para um melhor entendimento das condições de uso do inglês na aviação, através da uniformização da interpretação dos descritores de proficiência lingüística da ICAO (International Civil Aviation Organisation) e da determinação de campos semânticos, lexicais e estruturais a serem ensinados no Inglês para a Aviação, com importantes reflexos para a prática docente. A primeira parte do artigo apresenta uma breve descrição da necessidade do inglês para a aviação junto a um panorama dos descritores da ICAO. Em seguida, sugere-se o uso da Linguística de Corpus como ferramenta adequada para a coleta e o tratamento científico de dados linguísticos que potencialmente propiciem uma leitura uniforme dos descritores. Por fim, são traçadas algumas breves análises para demonstrar como tal estudo pode ser concretizado.

Download



Artigos

1. PRADO, M. A. C. ; TOSQUI-LUCKS, P. Are the LPRs focusing on real life communication issues?

This article aims to present the discussions of both preparation and delivery processes of a workshop targeted at aviation English professionals. Pursuing a corpus-based pragmatic investigation of the language used in real radio communications by pilots and air traffic controllers when dealing with abnormal situations, it was proposed that participants discussed issues about the importance of the interlocutors' roles in the language production, the recognition of linguistic features related to fluency and interaction, and the revision of the concepts of native x non-native speakers regarding language proficiency. To such an end, five transcripts evolving from native and non-native interactions to non-native speakers’ communication, all succeeding in getting the message across, were debated through specific questions which conducted the discussions. These questions addressed topics related to the use of modalizers (or hedges), plain English, shared knowledge and peer proficiency. The workshop concluded with a demonstration of examples taken from the study corpus and contrasted with communicative functions listed in the ICAO DOC 9835.

Download


2. SOUZA, P. R. O efeito retroativo do EPLIS nas percepções de professores

O EPLIS (Exame de Proficiência em Inglês Aeronáutico do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro) foi desenvolvido para atender à política linguística da Organização da Aviação Civil Internacional, no que tange à avaliação do nível de inglês de controladores de tráfego aéreo e operadores de estação aeronáutica. Considerado um exame de alta-relevância, nos seus 7 primeiros anos de implementação, o EPLIS estava restrito aos profissionais em serviço. Porém, em 2014, controladores de tráfego aéreo em pré-serviço começaram a se submeter ao teste no último semestre do curso de formação. Este estudo buscou analisar os efeitos retroativos do EPLIS nas percepções dos professores de língua inglesa do curso de formação em Controle de Tráfego Aéreo. Os professores responderam a um questionário sobre a influência do EPLIS em diversos aspectos do ensino e aprendizagem de inglês. Foi feita uma análise estatística descritiva dos dados, e os resultados apontaram que a experiência no ensino de inglês aeronáutico e o conhecimento sobre o exame interagem com a intensidade do efeito retroativo.

Download



Blogs

1. Blog do Aplicado. English for Aviation.

www.blogdoaplicado.com


2. Aviation English Hub A list of references for Aviation English course and test developers, researchers, teachers, and examiners.

aviationenglishhub.wordpress.com

3. LHUFT Language as a Human Factor in Aviation

www.lhuft.org/blog



Material de Referência

1. Internacional Civil Aviation Organization - ICAO. Manual on the Implementation of ICAO Language Proficiency Requirements. 2010. Second Edition. 999 University Street, Montreal, Quebec, Canada H3C 5H7.

Download


2. Internacional Civil Aviation Organization - ICAO. Guidelines for Aviation English Training Programmes. 2009. 999 University Street, Montreal, Quebec, Canada H3C 5H7.

Download


3. Internacional Civil Aviation Organization - ICAO. Procedures for Air Navigation Services - Air Traffic Management. 2007. Fifteenth Edition.

Download